Como lidar com a amamentação sem pânico: A fase inicial

Como lidar com a amamentação sem pânico: A fase inicial

Assim que descobrimos que seremos mães, milhares de pensamentos nos vem à cabeça. Será que serei capaz de cuidar de um ser tão pequenininho? Será que saberei segurá-lo sem deixar cair? Será que terei leite para amamentar?

Parece que são medos impensáveis, mas que surgem quando carregamos nosso filho na barriga. Eu, então, que nunca tinha tido contato com bebês antes de ter o Enzo, confesso que fiquei com muito medo em relação a todas essas questões.

Mas como sempre falo, isso é algo instintivo, por mais que não achamos que seja. E hoje também temos muitas informações, através de blogs, instagram, facebook, etc. que nos fazem perceber que não estamos sozinhas nesse barco. E através dessas pessoas que compartilham suas experiências, conseguimos tirar muitas dúvidas e acabar com muitos mitos.

Por isso, acredito que por mais que eu seja mais uma a falar sobre os assuntos da maternidade, acho que nunca é demais. Pode ser que eu tenha tido a mesma experiência que você está passando no momento, que é diferente de outras mães que já passaram por isso.

 

Como foi o início da fase da amamentação?

Assim que o nosso filho nasce, nos vem aquela grande responsabilidade: o de amamentá-lo. Assusta e dá medo de não conseguirmos. Tive uma experiência tensa nos primeiros dias com o Enzo. Apesar de estudar sobre o tema e minha obstetra ter me orientado a respeito do “engrossar” bico do seio, havia também a existência de formatos de bicos que dificultavam a amamentação (dê uma olhada neste post do Baby Center que explica um pouco a respeito).

O Enzo não conseguiu pegar o bico do meu seio e, apesar de ter muito colostro/leite, ele não estava conseguindo mamar. Fiquei arrasada e tensa. Optamos por aguardar alguns dias e ir tentando ver se ele pegava o peito. A Maternidade controlava a glicose dele dia e noite para caso fosse necessário dar complemento.

Foram dias tensos e acabei ficando mais tempo na maternidade que o esperado. Até que decidimos usar o bico de silicone para ver se ajudava na amamentação. Estávamos protelando o seu uso, pois pode haver confusão de bicos e atrapalhar futuramente na amamentação. Mas sou prova de que se as coisas não saem como o natural, temos que usar todos os métodos possíveis pelo bem dos nossos filhos.

Usei o bico de silicone durante toda a fase de amamentação do Enzo, até quando ele completou 1 ano de idade, pois o meu bico do seio não saiu e o Enzo não conseguia mamar de jeito nenhum sem o bico de silicone (e eu tentava sempre, mas ele não tinha pega). E sobrevivemos com o leite materno sem complemento até lá. Depois de um ano ele mesmo desmamou por livre e espontânea vontade.

Dicas para a fase inicial da amamentação

Não fique em pânico! Por mais assustador que seja, pense que você é capaz. Da mesma forma que foi capaz de gerar o seu filho e ficar 9 meses com ele na barriga. Amamentar é só mais uma fase que você tirará de letra.

Tire suas dúvidas com o obstetra a respeito da amamentação, dos formatos dos bicos dos seios e o que é possível ser feito para ajudar na hora de amamentar.

Pergunte ao pediatra sobre a amamentação. Veja qual a sua opinião sobre o bico de silicone. O pediatra do Enzo não era a favor, mas depois que ele viu que não tinha outra solução ele mesmo falou que se estava funcionando desse jeito, para mantermos dessa forma, já que o Enzo estava mamando, engordando e tendo saúde. Então não se apavore se o pediatra não for a favor inicialmente, todo mundo muda de opinião dependendo das circunstâncias.

Leve para a maternidade o bico de silicone. Esteja preparada para tudo. Eu não levei por não ter tido nenhuma orientação a respeito. Só sei que depois do terceiro dia na maternidade meu marido teve que sair correndo na farmácia para comprar. Por acaso ele comprou o da MAM que é o melhor que tem na minha opinião. Ele é molinho. Da Avent é duro, não fixa legal no seio e o bico é grosso para o recém nascido.

Se estiver na maternidade e ficar com muito medo de tudo que estiver acontecendo, converse com alguma enfermeira que você simpatize. Ela poderá te orientar melhor e te tranquilizar diante da sua experiência com a amamentação. Sou até hoje grata por ter encontrado na maternidade uma enfermeira que me ajudou muito a passar por esse momento tenso. Foi ela que “lutou” junto comigo para conseguir amamentar o Enzo e, no final, conseguimos vencer essa batalha.

Reflexões sobre a amamentação

Não tenha medo de ser julgada por qualquer coisa que diga a respeito da amamentação. Se você decidir que não quer amamentar, por qualquer motivo que seja, não se importe com que os outros digam. Amamentar é algo maravilhoso. Mas também é muito cansativo e requer muita força de vontade. Se não é isso que você sempre sonhou, tenha a liberdade de escolha. Seu filho crescerá forte e saudável também. Pense que muitas mães não conseguem amamentar e nem por isso deixam de ser menos mães do que as que amamentam.

Não torne essa fase algo árduo e pesado. Curta muito. E se esforce também. Amamentar não é fácil. Você tem que tomar muita água, se alimentar muito bem, estimular a produção de leite. Então é mais uma missão que devemos cumprir pelo nosso filho.

Caso tenham alguma dúvida em que eu possa ajudá-las é só deixar comentários aqui que responderei assim que possível.

Nos próximos posts vou contar um pouco sobre como estimular a produção de leite. Tem uma fase da amamentação que achamos que não temos mais leite (e na maioria das vezes não é verdade).

Enorme beijo



2 thoughts on “Como lidar com a amamentação sem pânico: A fase inicial”

  • Valeu pelo texto! Muito bom o incentivo. Só queria deixar mais uma dica: esse bico de silicone que te ajudou na amamentação, também pode ajudar se um dia o bico do seio ficar ferido (aconteceu comigo e o bico de silicone me ajudou uns dias até melhorar). Grande bj

    • É verdade! Como tive que usar sempre para amamentar o Enzo nunca tive o bico rachado. Mas para as que tiveram o bico machucado pela amamentação fica a dica! Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *