Os primeiros dias com seu bebê

Os primeiros dias com seu bebê

Depois de nove meses esperando a chegada do seu bebê, chega o momento de finalmente conhecê-lo. É uma sensação de ansiedade e medo. Ansiedade de ver seu rostinho e cuidar dele. Medo de não saber como lidar com tudo isso.

Quando somos mães de primeira viagem, não sabemos o que vem pela frente. Por mais que possamos ter toda a ajuda possível, a responsabilidade de saber cuidar do seu filho é exclusivamente sua. Então isso pesa demais e nos faz ter muitas dúvidas.

Cada uma terá suas próprias experiências. Cada bebê será de uma maneira e já possui uma personalidade. Então, apesar de ter lido livros e mais livros enquanto estava grávida, de nada adiantou na prática. Pois a prática é única e é sua. Não há ninguém nessa terra que te mostrará o seu instinto. Ele está dentro de você e quando menos esperar ele estará agindo e você se vê sendo aquela mãe leoa.

Como foi minha experiência nos primeiros dias do Enzo?

Eu e meu marido decidimos cuidar sozinhos do Enzo nos primeiros 30 dias. Ele tirou férias para poder se dedicar exclusivamente ao nosso filho. Optamos por querer conhecê-lo só nós dois. Saber os seus tipos de choro. Aprender a trocar fraldas (detalhe: eu nunca havia trocado fralda na vida).

Por mais cansados que tenhamos ficado, achei muito tranquilo conhecer melhor o Enzo sem muitas opiniões. Claro que as pessoas opinam para ajudar, mas muitas vezes pode nos confundir e deixar a gente mais insegura do que segura. Mas tem muitas pessoas que preferem ter essa ajuda inicial por se sentir justamente o contrário. Então é uma questão muito pessoal.

Nesses primeiros dias a gente fica super tensa. Tive o Enzo através de cesárea porque ele não encaixou, ficou sentadinho a gravidez inteira. Entrei em trabalho de parto, tive contração e dilatação, mas mesmo assim ficou sentado esperando sair. Então, considerando que a cirurgia traz um desconforto inicial bem grande, temos que fazer o mínimo de esforço nesses primeiros dias. A ajuda de alguém realmente é necessária, seja do marido, da mãe, da sogra ou de qualquer pessoa, porque não podemos pegar peso nem fazer grandes estripulias.

E as noites, como são?

A privação do sono é algo inevitável. Temos que dar mamar com mais frequência. Então mesmo que o bebê não acorde, o ideal é de no máximo de 4 em 4 horas dar mamar. Já sou uma pessoa super preocupada por natureza, com meu filho recém nascido então mal dormia com medo de acontecer alguma coisa. Mas tudo dá certo, no final das contas sempre sabemos o que fazer e como lidar com toda essa novidade na nossa vida.

Depois de dar mamar, ficávamos quase meia hora para fazê-lo arrotar. Tinha lido a respeito falando que se em 20 minutos ele não tivesse arrotado, ele não arrotaria mais. Massss, preferia ir um pouco além para me sentir segura.

Todas as noites nessa fase o bebê evacua, então temos que trocar a fralda dele no meio da madrugada, o que nos faz ficar mais cansadas ainda.

É importante ter ajuda em casa. Nem que uma vez na semana seu marido ou qualquer pessoa lave a roupa, faça comidinhas para congelar (é super importante ter essa válvula de escape porque chega um momento em que todos só querem descansar e descongelar uma comida nessa hora sem ter que ir pra cozinha é divino…rs). Isso é importante para você poder descansar bastante para ter condições de amamentar e cuidar do seu bebê.

Algumas dicas importantes para esse momento:

  • Todos falam para a gente sempre dormir quando o beber dormir. Para quem tem essa facilidade ótimo, aproveite o momento. Mas se vocês forem que nem eu que não consegue dormir durante o dia, o ideal é nessa hora dar uma boa relaxada. Assista a um filme, um seriado, veja seu instagram ou facebook se isso te faz relaxar. Evite querer cuidar da casa nesse momento (às vezes fazia isso, porque tenho toque de arrumação), mas me arrependia profundamente depois. A gente não descansa nunca.
  • Tome muita água e se alimente bem, de três em três horas. É extremamente importante para a produção do leite.
  • Divida as tarefas com alguém de confiança. Nessas horas é essencial delegar as atividades do dia a dia para você não ficar sobrecarregada.
  • Tente entender o choro do seu bebê. Assim, você conseguirá identificar se é fome, sono ou qualquer outro desconforto. Caso contrário, toda vez que um bebê chora todos acham que é fome ou cólica e você acaba dando muito mais mamar que devia ou querendo dar um antigases sem necessidade. Então, conhecer o choro do seu bebê vai te dar mais clareza nas decisões. Demora um pouco, mas com o tempo você começa a reparar que os choros são diferentes.
  • Evite receber tantas visitas nesse momento. Sei que muitas pessoas amam receber visitas. Mas quando elas são excessivas o seu bebê fica estressado. Muitas mudanças no ambiente, com muitas pessoas novas, fazem com que eles passem a chorar com mais frequência, mamam de forma meio descontrolada. Então se puder deixar mais pra frente algumas visitas, eu aconselharia.
  • Não tenham medo de dar banho nele. Parece que será um bicho de sete cabeças, mas é mais tranquilo que pensamos. Não iremos derrubá-lo na água e nem afogá-lo. Não se apavorem e curtam o momento.
  • Relaxe e aproveite essa fase. Nessas horas você vai se questionar se ter tido um filho foi a melhor decisão da sua vida. É normal. Não quer dizer que você esteja tendo depressão pós parto ou qualquer outra nomenclatura que hoje as pessoas adoram criar. O cansaço, o medo, o novo nos fazem ter essas dúvidas. Mas você sabe lá no fundo que nunca poderia ser mais feliz do que com o seu bebê ao seu lado.

Caso tenham mais dúvidas ou queiram contar um pouquinho de sua história, o blog está aí para isso. Compartilhar nossas vidas muitas vezes ajuda àquelas que estão passando por tudo isso com muito receio, com vergonha de perguntar para alguém por medo de serem julgadas. Somos humanas e longe de sermos perfeitas, mas somos mães!

Beijocas



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *